Governo espera até 355 votos favoráveis à Previdência

Confie a contabilidade da sua empresa a quem oferece segurança e qualidade nos serviços

Governo espera até 355 votos favoráveis à Previdência

Negociador da equipe econômica para a reforma da Previdência, o secretário de Previdência Social, Rogério Marinho, previu nesta manhã de quarta-feira, 10/07, que a votação do texto-base só deve acontecer por volta das 18 horas.

O governo espera atingir até 355 votos favoráveis à reforma.

Um dos pontos de discórdia na proposta, a aposentadoria de policiais, foi contornada. A Bancada da Bala conseguiu acordo que garante medidas mais brandas para a categoria.

Para o policial que está na carreira, a idade mínima de aposentadoria deve ser de 53 anos, para homens, e 52, para mulheres, além da provisão de um pedágio de 100%. Ou seja, se faltarem dois anos para o policial se aposentar, terá de trabalhar mais quatro anos.

Já para quem inicia a carreira, a idade mínima prevista para a categoria permanece em 55 anos, como queria o governo.

APROVAÇÂO URGENTE

Alfredo Cotait Neto, presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) e da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), espera que a aprovação do texto dê impulso novo à economia.

“O ajuste fiscal e a retomada do crescimento econômico só poderão acontecer uma vez que a nova Previdência seja aprovada. A reforma é fundamental para corrigir distorções e privilégios e equilibrar as finanças públicas. É não apenas necessária, mas urgente, porque possibilitará avançar nas outras pautas prioritárias, como a reforma tributária e medidas para reativar a economia”, diz Alfredo Cotait Neto, presidente da Facesp e da ACSP.

Ele avalia que, com a inflação abaixo do centro da meta, “aguardamos as quedas da taxa básica de juros e dos recolhimentos provisórios sobre os depósitos compulsórios a prazo, para liberar recursos para o crediário.”

Em junho, a Facesp – juntamente com as 420 associações comerciais filiadas – lançaram a campanha “Reforma da Previdência: sim, eu apoio”, a fim de incentivar que os empresários – e toda a população – se informem sobre o posicionamento de cada deputado acerca do projeto e peça para o parlamentar de sua região votar a favor da reforma.

Fonte: Diário do Comércio